CAMINHO SAGRADO

02-04-2021

A expressão de Caminho Sagrado surge quando terminei o primeiro Caminho de Santiago.

Em 2016 assumi a minha dimensão peregrina a um nível que não esperava. Talvez porque até aí eu apenas compreendia a dimensão da peregrinação por meio da ação física (mexendo os pés), e nesse ano entendi a dimensão peregrina da Alma na busca por este Caminho Sagrado de SER.

Mas o que é afinal este Caminho Sagrado? Para mim é a compreensão dos diferentes ciclos da vida, e também de todas as possibilidades em que a podemos viver.

No meu caso, sinto que em 2016 eu fui convidada a morrer, não de uma forma física, mas de uma perspetiva egoica, talvez, pois compreendi que a forma como vivia era apenas primitiva. Uma preocupação em comer, reproduzir e dormir. Esta condição humana, não me permitia respeitar este impulso da Alma que pedia a libertação do meu SER, por meio da expansão da minha essência. E assim, fui permitindo a minha rendição, entregando-me ao fogo, permitindo transformar-me em cinzas.

Desde então que o meu trabalho pessoal tem sido o resgate de cada uma das minhas partes, de forma a permitir a unificação deste cristal divino, esta centelha que nos pulsa para uma dimensão de maior consciência, para que a manifestação de SER se possa cumprir em plenitude.

Tal como uma Via Sacra, eu entendo este caminho como a Via Lux. Um caminho de Ascensão da Essência, não por meio do poder, ou do querer, mas por meio da simplicidade e da pureza, que permite a ancoragem da nossa dimensão mais divina aqui na Terra.

Nesta última semana, tenho sido convidada a olhar para o meu caminho, a fazer esta pausa em contemplação do que foi, da forma como me retraí ou expandi, para que agora, no novo ciclo, me possa transcender uma vez mais, indo ao encontro daquilo que realmente faz sentido para a minha vida.

E tu? Como tens vivido este Caminho Sagrado de SER?